Copo de 3: Biodinâmica e o Vinho dos Astros...

06 Julho 2005

Biodinâmica e o Vinho dos Astros...

Não se pode ler um artigo sobre Agricultura Biodinâmica e ficar-se indiferente...
Enterrar cornos de vaca cheios de estrume conforme o ciclo lunar é um pouco estranho.
Dentro dos estilos de Agricultura Biológica e Ecológica esta prática é a mais ousada e extrema de todas, definida como uma «ciência espiritual», está ligada à Antroposofia, em que a propriedade deve ser entendida como um organismo e defender o equilíbrio do seu ecossistema, proibindo compostos químicos. Rege-se por um calendário astrológico biodinâmico, em que se utilizam preparados biodinâmicos aplicados no solo, com o objectivo de renovar as energias do solo, tal como a actividade bacteriana no mesmo, em conformidade com a disposição dos astros e ciclos lunares.

Foi um cientista e filósofo Austríaco chamado Rudolf Steiner (1861-1925) que deu origem a este movimento, com um trabalho publicado a partir das suas notas, chamado «Agriculture» e que é a bíblia da Biodinâmica.
Segundo Steiner a terra é um ser vivo, que tem de ser tratada como tal, dando principal importância à harmonia entre minerais, animais, plantas e o ser humano com a actividade dos astros.
Uma sua discípula de nome Maria Thun, desenvolve um calendário anual, resultado das aplicações práticas das teorias de Steiner, pelo qual os agricultores se seguem.

Preparados Biodinâmicos

Os preparados biodinâmicos são divididos em dois grupos; os que são pulverizados no solo e nas plantas, e os que são inoculados em composto ou outras formas de adubos orgânicos como biofertilizantes. Os Preparados tem uma numeração que vai de 500 a 508 que surgiu primeiramente como um código e nos dias de hoje facilita a comunicação internacional, entretanto é melhor utilizar o nome próprio de cada um quando nos referirmos a eles. Os preparados chifre-esterco são elaborados a partir de plantas medicinais, esterco e silício (quartzo), que são envoltos em órgãos animais, enterrados no solo e submetidos às influências da Terra e de seus ritmos anuais. O preparado chifre-esterco direciona-se ao solo e às raízes proporcionando maior atividade biológica e vitalidade favorecendo o desenvolvimento vegetativo da planta e as relações de simbiose da rizosfera.


Os preparados podem ser considerados como remédios homeopáticos no que diz respeito às substâncias naturais utilizadas, aos processos de dinamização e a atuação através de forças e não de substâncias e por serem utilizados em quantidades mínimas, entretanto eles não se prendem a teoria ou a prática da homeopatia médica. O preparado chifre-sílica é o “preparado da Luz” que actua trazendo forças da periferia cósmica e intensificando a actuação da luz solar. Este preparado é essencial para a estruturação interna das plantas e seu desenvolvimento assim como para a qualidade nutritiva das plantas e para a resistência a doenças.


Preparados para Compostagem


Os seis preparados elaborados a partir das plantas medicinais mil-folhas (502), camomila (503), urtiga (504), casca de carvalho (505), dente de leão (506) e valeriana (507), servem como suplemento ao composto, esterco, e biofertilizante; conduzindo e organizando os processos de fermentação e decomposição. Por meio do composto preparado, eles colocam as plantas numa condição na qual as forças do Cosmo sejam mais actuantes.

Fladen

Outra forma de uso dos preparados de composto é através do Fladen. Este “preparado acessório” foi elaborado posteriormente a Rudolf Steiner inspirado numa prática a muito utilizada pelos agricultores europeus. Este preparado é elaborado com esterco fresco consistente e bem formado misturado a pó de basalto e cascas de ovos trituradas e aplicam-se os preparados 502 ao 507. Tem como objectivo “compostagem laminar” trazendo as forças dos preparados para compostagem no local de aplicação.
Dinamização

É um movimento rítmico que transfere as forças contidas nos Preparados (pequenas substâncias) para a água. Faz-se um movimento circular de modo a formar um vortex/ “funil”, ou redemoinho, na mistura, proporcionando uma certa ordem; e assim inverte-se o sentido do movimento desfazendo-se esta ordem e criando-se um caos. Este procedimento gera maior contato entre as moléculas de água e do Preparado, o que permitirá melhor permeação da energia na água. A dinamização, este movimento rítmico de ordem e caos, é uma imitação dos processos da vida. Por isto é algo essencialmente importante no que diz respeito aos Preparados .

Mas que relação tem tudo isto com o vinho ??
Se bem que Steiner pouco fala sobre o vinho no seu livro, a verdade é que insere a produção de vinho na Agricultura.
O que vai dar, em que tal é compatível com a produção de vinho...
Após uma pequena pesquisa na Internet, produtores como Domaines Leroy
y Lefaivle, Romanee Conti, Château Falfas, Château La Grave , Château Pavie-Macquin, Mark Kreydenweiss ,Millton...
Em Espanha e Itália também alguns produtores de renome começam a entrar neste mundo da Biodinâmica, por Portugal também já temos um vinho ,Casa de Mouraz 2003, em que a Biodinâmica é tida em conta.

2 comentários:

Anónimo disse...

Caro João Pedro

Penso que o António Carvalho de A dos Cunhados, também produz o Casal de Figueira por estes processos.

Excelente artigo. Curiosa "tecnologia"

Um abraço


Zé Tomaz

Anónimo disse...

Continuas a marcar pontos pela qualidade...
Os meus parabéns.

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.