Copo de 3: PROVA Touriga Nacional

29 Dezembro 2005

PROVA Touriga Nacional

Relativamente à casta do mês de Dezembro, Touriga Nacional, foi realizada esta prova cega com alguns exemplares do Alentejo.
Decantados os vinhos cerca de 1 hora antes, colocados em decanters númerados. Por ordem de prova os vinhos foram:

Cooperativa de Borba Touriga Nacional 2003

De tonalidade ruby, intensidade média, com 4 meses de estágio em carvalho francês, de boa intensidade aromática, com fruta negra madura, ligeira compota, vegetal e algum floral. Mostrou com o tempo alguns aromas balsâmicos a mentol, especiarias, poejo, leve torrado, fumo, tabaco, leve toque de baunilha, num perfil correcto e fresco. Na prova de boca, mostrou corpo médio, com fruta presente, fresco, persistência final média com ligeira adstringência vegetal. Falta tempo para equilibrar um pouco mais o conjunto que se mostrou com bom nível durante toda a prova, acabando por ficar em último na prova.Um vinho que custa cerca de 6€ na Wine Shop da Cooperativa. 16

Monte Seis Reis Touriga Nacional 2003

De coloração ruby escuro muito concentrado, teve estágio em barrica de carvalho francês durante 8 meses, apresenta-se com 14,5% e uma tonalidade granada escuro, mostrando-se muito concentrado. Na prova de nariz, é muito intenso de aromas, com fruta negra madura,alguma marmelada, notas de pastelaria, fumo, torrados, leve especiarias ligam com violetas, eucalipto e fundo com lembrança a iodo, tudo num conjunto muito forte. Na prova de boca tem corpo médio/forte, fruto a marcar presença, leve adstringência vegetal, com frescura, final persistente e balsâmico (eucalipto). É um vinho cheio de força, ainda um pouco escondido e com tempo pela frente...segundo lugar, custando cerca de 15€ na loja do Monte Seis Reis. 17,5


Herdade das Servas Touriga Nacional 2003

Provado novamente este vinho, que teve estágio de um ano em barrica nova de carvalho francês (70%) e americano (30%), com 14,5% e uma tonalidade ruby escuro, com rebordo violeta. No nariz mostrou-se intenso e fresco, com entrada a fruta negra muito bem integrada com aromas a baunilha, violetas, ligeiro torrados num vinho muito fresco de aromas, abrindo para aromas de chocolate, café, tabaco, e final mentolado, com perfil fino e equilibrado de grande qualidade. Na boca tem corpo médio/encorpado com taninos muito delicados, ligeiramente mentolado com frescura no ponto, equilibrado no conjunto boca/nariz com persistência final média/alta. Foi um vinho que pelo seu equilibrio e harmonia de conjunto foi escolhido como vencedor da prova. Tem um preço de 13,5€ na loja da Herdade das Servas. 17,8

Dolium Selectio Touriga Nacional 2003

Do produtor Eborae Vitis e Vinus, temos este Dolium Selectio Touriga Nacional 2003, com 13,5% e uma tonalidade granada escuro. Na boca mostrou entrada com fruta negra madura em conjunto com alguma baunilha, ligeiro balsâmico(mentol) com vegetal, presença da madeira, torrado, tabaco, chocolate acabando com um final mineral. Na boca tem corpo médio/encorpado com mentol presente em conjunto com a fruta e torrados da madeira, tudo em grande harmonia com acidez a dar frescura correcta ao vinho, com final ligeiramente mineral. Mostra-se um vinho harmonioso de nariz e boca, dando uma prova muito boa neste momento, mostrando um perfil algo diferente dos restantes, mas que não foi o suficiente para vencer a prova, custou em garrafeira cerca de 18€, ficando em terceiro lugar na prova. 17

Um factor interessante é que com a mesma casta, e com vinhos quase todos da mesma zona, as diferenças que se notam nos vinhos são mais que óbvias. A palavra Terroir, aliada à mão de diferentes enólogos são a explicação, mas a qualidade é alta e recomenda-se, afinal todos diferentes todos iguais.

Sem comentários:

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.