Copo de 3: PROVA Vale Zias 2005

30 maio 2007

PROVA Vale Zias 2005

O mercado do vinho anda num constante fervilhar de novidades, novas marcas, novos vinhos, novos produtores. Neste caso temos um novo vinho de um novo produtor (Fazendas da Estremadura), perto da Serra de Montejunto.

Vale Zias 2005
Castas: 100% Syrah - Estágio: n/indicado - 13,5% Vol.

Tonalidade ruby escuro de média concentração
Nariz a mostrar um aroma de média intensidade, frutado (frutos negros) com presença de alguma compota, especiarias em conjunto com alguma sobrematuração. Frescura ligeira com a sensação de terra húmida no final, um vinho que mostra o que tem e depois se encosta um pouco às cordas.
Boca com fruta presente, boa entrada, corpo sem grandes complexidades e curto de horizontes. Mostra alguma secura na passagem de boca com final algo curto.

Um vinho que não desperta grande paixão, correcto e dentro da mediania, está pronto a consumir e a acompanhar uma churrascada na companhia de amigos.
14

9 comentários:

Nuno de Oliveira Garcia disse...

João,

Provei-o faz 2 meses. É um syrah muito jovem e fresco. Por enquanto também entendo que não desperta grande paixão.

ab.

N.

Anónimo disse...

JA O BEBI E GOSTEI, MAS VOU SABOREA-LO DE NOVO E CA ESTAREI PA OPINAR.
EU QUANDO O PROVEI A PRIMEIRA VEZ, JÁ FOI EM DEZEMBRO-06, GOSTEI DO VINHO.
VOLTAREI Á CARGA
UM ABRAÇO,
Cosme Durão

Anónimo disse...

ola,
nao me parece correta a explicaçao que me deste (no mail) sobre o Vale Zias 2005.
Nao se escreve o que ta no copo de 3, e depois me dizes o que disseste no mail.
Quem tem responsabilidades tem que ter outro tipo de rigor.
Um abraço
Cosme Durão

Copo de 3 disse...

Sobre o Vale Zias 2005 já tinha visto e nada contra, afinal eu provei o vinho ainda muito novo, talvez se fosse provado agora a nota seria outra. Como sabes os vinhos andam sempre em mudanças e por vezes podem estar em grande forma como o podemos encontrar numa fase menos boa.

Este foi o mail que te enviei, de salientar que toda a nota de prova aqui colocada reflecte o que o vinho me transmite naquele momento. Rigor é isto e não avaliar um vinho pelo que pode vir a ser daqui a x tempo, pois tal pode não vir a acontecer e depois como é ?

Como tal o vinho foi avaliado no que me transmitiu naquela altura... se agora dá uma prova diferente para melhor claramente que a nota seria diferente, como que se estivesse pior a nota iria descer... A isto eu chamo ser responsável e ter rigor.

Anónimo disse...

Bom dia
Eu nunca me proniunciei sobre a nota que deste ao vinho.
A nota tem a importancia que tem.
Acho que nao se devem dizer coisas ,"encostas-se um pouco ás cordas" !!!!
Bem !
Mas quem é o especialista dos vinhos , nao sou eu. Quem vincula um vinho a uma "escrita" e a uma opinião aos leitores, não sou eu. Continuo a achar que tem que se ter cuidado quando se faz, neste caso escreve alguma coisa para o grande publico, que muintas vezes vai atrás de um escrito sem sequer como neste caso, provar o vinho.
Um abraço,
Cosme Durão

Pedro Sousa P.T. disse...

Pois eu hoje bebi este vinho ao almoço, e achei-o muito bom, ao ponto de dar um 16 de 0 a 20.
será que o vinho evoluiu positivamente dentro da garrafa este tempo todo?

Copo de 3 disse...

Quantas vezes aquele vinho que foi provado quando saiu para o mercado não se mostrou fechado e pouco falador, nos deixou com pouca vontade de repetir, e passado um tempo esse mesmo vinho despertou e revolucionou-se na maneira como se mostra ?

Penso estas mudanças fazem parte do vinho em si, enquanto temos uns que são feios desde o início até ao seu fim, outros começam feios e acabam bem diferentes para melhor.

Anónimo disse...

Comentários de prova
João Paulo Martins in Vinhos Portugal 2008 (2007, Edições Dom Quixote) diz,
(...), um aroma repleto de notas de fruta madura e boas sensações químicas, acrescidas de notas de cacau e chocolate amargo. De bom porte na boca, é um tinto cheio, de taninos ainda presentes mas finos, com corpo e estrutura aguentar algum tempo de cave (...)

António Ventura, Enólogo Consultor, diz,
(...) cor granada, aromas de bagas de bosque maduras e ligeiro chocolate negro, boca estruturada e intensa com taninos vincados e final longevo a prometer boa evolução na garrafa por alguns bons anos (...)

Miguel Moteo, Enólogo, diz
(...) de cor granada, com nuances violáceas, nariz intenso a frutos vermelhos muito maduros, quase compota. Na boca com bom ataque, encorpado, taninos e acidez equilibrados.

NÃO RESISTO A ENVIAR ESTAS NOTAS DE PROVA A ESTE "COPO DE 3"

eu tinha vergonha se provava vinhos e escrevia em função do rótulo

João de Carvalho disse...

Eu também não resisto em dizer que sentia vergonha se andasse a comentar como anónimo.

A minha nota é pessoal e apenas reflecte aquilo que eu achei sobre o vinho. Dou a minha opinião como sempre dei sem ter preocupação se agrado a flano ou a beltrano,todas as notas são atribuidas segundo uma tabela fixa na qual avalio determinados parâmetros, não me pagam para provar vinhos nem sequer faço publicidade aos produtores dos quais recebe amostras.

Dizer que provo conforme o rótulo só mostra má fé de quem o diz, mesmo sendo anónimo. Revela também um profundo azedume ao longo destes 3 anos e uma conduta a nível de comentários que não se enquadra em nada no espírito deste espaço, pelo que estou em meu pleno direito de se o tom se mantiver ter de o ignorar.
Aceito as críticas seja de quem for, desde e quando essas mesmas críticas tenham fundamento, coisa que até hoje nunca foi capaz de mostrar... fundamento.

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.