Copo de 3: Quinta das Marias branco 2005

17 Fevereiro 2008

Quinta das Marias branco 2005

Após quase 10 anos a produzir vinhos, a afirmação chegou no ano passado com o lançamento no mercado de um conjunto de vinhos onde a qualidade inegável os levou a brilhar ao mais alto nível. Para os mais distraidos seria o surgir da Quinta das Marias, produtor situado no Dão, onde os 8ha de terra situados entre as margens dos rios Dão e Mondego, no meio de colinas de granito são um local ideal para a produção de vinho.
O produtor Peter Eckert, tem como objectivo principal a qualidade, o aumento de produção fica fora de questão, ficando apenas e só a vontade de apurar cada vez mais a qualidade, o que de certa forma se traduz numa produção de pequena escala, permitindo numerar todas as garrafas produzidas.
Apostando essencialmente nas castas tradicionais do Dão, os seus vinhos variam entre os extremes de Touriga Nacional, Alfrocheiro ou Encruzado, até aos vinhos de lote como o Cuvée TT e o Quinta das Marias, ou bem mais recentemente o Garrafeira.
Em prova um branco curioso, um vinho de lote do ano 2005, que não se repetiu em 2006 por se ter optado apenas por produzir encruzado.

Quinta das Marias branco 2005
Castas: Encruzado, Malvasia Fina, Bical e Cerceal - Estágio: Fermentação parcial em barricas novas de Carvalho Francês durante 5 meses - 14% Vol.

Tonalidade leve dourado com reflexos esverdeados.
Nariz com entrada de boa intensidade, chamativo ao toque tropical com ligeira calda. A componente citrina acompanhada de bafo floral marca a sua presença, sumarento e pleno de frescura, banhando um fundo mineral de belo efeito. A passagem por madeira contribui com certo arredondamento, trocando frescura por mais alguma complexidade que bem se nota e agradece.
Boca de entrada fresca, com acidez convidativa e a contribuir para um belo equilíbrio com as nuances de untuosidade conferidas pela madeira. A fruta tropical banhada pela sua calda marcam a passagem com o final a lembrar a força fresca e ácida de uma toranja. Mais uma vez assenta todo o seu corpo em laje granítica, a persistência final é mediana.

Um branco de 2005 em plena forma, mostrando um Dão apetecível e cada vez mais uma presença obrigatória na mesa do consumidor. No vinho em causa , ficou um pouco fora do esperado o final de boca. Foram feitas 3450 garrafas cabendo a esta o nº 0118, com um preço bastante tentador de 5€ por garrafa.
15,5

Sem comentários:

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.