Copo de 3: Redoma branco 2005

18 Março 2009

Redoma branco 2005

Em prova coloco um branco que considero como um valor seguro, fruto da boa consistência que consegue apresentar colheita após colheita, e que se junta ao lote dos brancos que mais prazer me deram a beber nos últimos dias.
Informa o site Niepoort, que o Redoma branco é produzido a partir de vinhas de pequenas parcelas, muito velhas com mais de 40 anos. Estas vinhas situam-se a altitudes que variam entre os 400 e os 700 metros, enquanto a maioria das vinhas clássicas do Douro estão plantadas a baixa altitude, entre os 80 a 300 metros. Nestas vinhas encontramos uma mistura de castas tradicionais nas quais predominam Rabigato, Codega, Viosinho e Arinto.
A colheita de 2005, deu e continua a dar grandes alegrias aos apreciadores, neste caso o tempo que o vinho passou em clausura só lhe fez bem, o que já de si era bom tornou-se ainda melhor.

Redoma branco 2005
Castas: Rabigato, Codega, Donzelinho,Viosinho, Arinto e outras - Estágio: fermentação em barricas novas e usadas de Carvalho Francês, permanecendo em contacto com as borras finas por um período de 8 meses, sem fermentação maloláctica, com batonnage quinzenal -

Tonalidade amarelo citrino de toque esverdeado.

Nariz a apresentar uma expressão aromática bem vivaça e de delicada complexidade, onde a fruta madura e fresca (citrinos, pêssego, melão) se entrelaça em suaves nuances de tosta, fumo e fruto seco que a passagem pela madeira lhe atribuiu. Complementam tudo isto as notas de vegetal fresco, finamente recortado que combinam com uma mineralidade que domina todo o plano de fundo, mostrando no seu todo um conjunto de grande finesse aromática, com um ligeiro toque petrolado em fundo.

Boca de entrada fresca, com a fruta a recair mais na componente citrina e bem apoiada pela componente mineral. Um vinho com uma belíssima presença de boca, apresentando uma boa espacialidade, com um bom arredondamento de conjunto (a madeira contribui muito neste sentido), completando-se ao nível do resto da prova de nariz, com toques vegetais bem frescos e um final de persistência mineral.

É um branco de grande qualidade, a mostrar uma belíssima harmonia, aqui tudo se conjuga para uma prova de grande finesse, com uma fruta presente ao lado de uma acidez bem doseada com toque fino e mineral, tudo pronto a dar muito prazer a quem nele aposte neste momento.
17

1 comentário:

Raul e Joel Carvalho disse...

Provámos este vinho na Essência 2009, e de facto era espectacular.
Só achei que estava frio de mais o vinho, mas deu para ver bem o seu potencial.

Abraços

http://do-nariz-a-boca.blogspot.com/

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.