Copo de 3: Alonso del Yerro 2008

13 Agosto 2011

Alonso del Yerro 2008

É dos vinhos que mais prazer me dá beber nos últimos tempos, abri a segunda garrafa e novamente um vinhaço no copo de encontro ao que já me acostumou nesta e nas colheitas anteriores, aqui mais concentrado e cheiroso que o 2007, pura classe com tempo pela frente para melhorar, mas desde o momento em que se serve até que a garrafa se acaba é um puro gozo estar de roda deste vinho produzido na Ribera del Duero.

Estes são os vinhos que procuro, compro, guardo e partilho com os amigos mais chegados, este é o vinho que me garante elegância, harmonia entre partes e boa longevidade, nada aqui é de excesso, nada aqui é de quebras nem falhas, é grande desde que se cheira até que se engole... é vinho que não sendo barato 22€ dá uma prova melhor que vinhos que custam o dobro... ou seja, comprar beber ou guardar o prazer esse é mais que garantido. Como diz a letra do famoso José Afonso:

"Venham mais cinco. Duma assentada. Que eu pago já. Do branco ou tinto. Se o velho estica. Eu fico por cá. Se tem má pinta. Dá-lhe um apito. E põe-no a andar"

Enche o nariz com frescura da fruta, fruta da boa e bem limpa com tons de cereja, morango e amora, depois vem banhada por especiarias, café moído e algum regaliz com floral em fundo. Mostra-se desde o primeiro instante um vinho que esconde uma belíssima complexidade, madeira no ponto, dá cacau e fina tosta, conjunto de enorme qualidade, em postura de quem tem a lição muito bem estudada, não se inventa nem se tapa defeitos com excesso de "pau".
Boca cheia e gulosa, fruta fresca forra o palato, tudo em conjunto como no nariz... o morango, a especiaria, algum toque de bálsamo, tosta... e tudo muito apelativo num longo final. 93

8 comentários:

Anónimo disse...

Fui recentemente a Barcelona e fui a uma garrafeira comprar este vinho.

Na mho, apesar de ser um bom vinho, não é um Grande vinho. Paguei 20.9€ por ele e achei que era um preço elevado. Gostei mais, por exemplo, do Vértice Reserva 2005, ou do Burmester Reserva 2007.

Pode ter sido da temperatura ao qual servi ter sido mais elevado (estava muito calor em Barcelona!), mas fiquei desiludido com vinho...

Fica apenas esta nota.

Abr
NF

João de Carvalho disse...

O Grande Vinho é o Maria... este apenas é um vinho muito bom, extremamente bem feito em que sentimos a frescura e pureza da fruta com madeira trabalhada com mestria. Não cansa, não satura...

Comparar a colheita de 2008 com um 2007 ou um 2005 não me parece muito feliz, mas no final é tudo questão de gosto e de estilos.

Anónimo disse...

São dois dos dois vinhos que eu gosto mais do douro... e como para nenhum deles provei o vinho de 2008, indiquei as colheitas que mais gostei nas últimas provas.

Mas não foi a este vinho que deste 93 pontos e disseste que dava melhor prova do que alguns que custam 40 e muitos €?

Abr
NF

João de Carvalho disse...

Foi a este vinho que dei 93 pontos e voltarei a dar as vezes que o vinho o justifique. Continua a dar melhor prova que alguns que custam 40 e muitos euros...

Não é por não se ter achado que não é um Grande Vinho, que o vinho deixa de valer aquilo que ele é... um vinho Muito Bom com uma pureza e frescura da fruta de enorme qualidade.

Fugindo às colheitas do mesmo ano e tendo atenção apenas ao factor qualidade, bebi recentemente um Chryseia 2003 e um Quinta do Carmo Reserva 2003 que estão muito abaixo da qualidade desde Alonso del Yerro, já para não mencionar o preço que custaram.

Anónimo disse...

Chryseia é daqueles vinhos que não gosto mesmo (gosto muito mais do PS).

Mas percebo o que dizes. Quando li 40€ estava a pensar em vinhos tintos que gosto e que custam esse preço (como o Quinta do Vesúvio ou o Reserva Especial da Ferreirinha) e por isso a expectativa era muito grande.

Um abr
NF

Anónimo disse...

cheguei de Valência, Espanha, ontem, 20.04.12, encantado com o Maria Alonso del Yerro. Belíssimo.
Teria alguma idéia de onde posso comprar em Lisboa? Não houve tempo para procurar em terras de Espanha.
Agradeço.

João de Carvalho disse...

Caríssimo não tenho qualquer referência que os vinhos Alonso del Yerro sejam importados ou vendidos em Portugal. Uma pena.

Anónimo disse...

Obrigado pela gentileza da resposta. Quem sabe em um regresso a Espanha consigo uma nova garrafa do Maria Alonso, realmente um vinho que me impressionou. Um abraço.

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.