Copo de 3: Quinta da Espinhosa Reserva 2000

14 fevereiro 2013

Quinta da Espinhosa Reserva 2000


Desencantado algures num leilão pouco concorrido na altura, vinho proveniente do Dão, zona com fama onde apenas os grandes nomes parecem ter direito a ser conhecidos, provados e nomeados, os mais pequenos morrem como nascem, na sombra de um esquecimento que nunca foi lembrado. Das duas uma, ou por sorte damos com alguns nomes ou nada feito, apenas nos resta ir ao local e procurar... talvez com sorte a coisa se encontre.

Ora Quinta da Espinhosa, desconhecia por completo, a curiosidade em conhecer o produto aliado aos anos que já tinha face ao preço de saldo a que saiu, levou-me à comprar duas caixas. Com o vinho já na mão resolve-se investigar mais um pouco, fica-se a saber que foi feito por um dos mestres da enologia do Dão, Magalhães Coelho, de igual modo que o vinho seria fruto de um blend de Touriga Nacional com Tinta Roriz. Recentemente dei com as novas colheitas, bastante interessante o branco, num registo exuberante e exótico, a sair do enclave aromático da região, quanto aos tintos foram uma agradável surpresa que irei voltar a falar deles.

Cativante desde o momento em que cai no copo, tem brilho próprio, alguns dirão que é o brilho da Serra, que é a austeridade da zona que lhe marca a alma, cujos aromas frescos e de frutos silvestre marcam toda a prova. Um vinho que cresce no copo, toque de caruma de pinheiro (bálsamo), flores roxas, bagos de pimenta e ramo de cheiros, algo terroso, fumo, cacau, tudo muito composto. Boca a complementar a prova, saboroso e fresco, amplo e com passagem calma, onde a secura ainda parece estar lá no fundo a pedir por comida bem temperada, qual pernil de porco no forno. É vinho que não cansa, que gosta de ser bebido e bem acompanhado, que tenho de impor a mim mesmo um travão para que consiga ir guardando algumas garrafas em casa. 91pts

4 comentários:

Rui Oliveira disse...

Como eu adoro vinhos do Dão, então se forem projectos desconhecidos...daqueles que demonstram o terroir do Dão...melhor ainda!!

João Pedro Carvalho disse...

Os encantos do mundo do vinho são isso mesmo, mas para que tal aconteça é preciso querer encontrar.

Rui Oliveira disse...

Concordo totalmente João, por vezes acho que a procura destes nectares ainda aguça mais a curiosidade...

Anónimo disse...

Olá, descobri um DOC 2003 (blend de T-N,T-R, Alfrocheiro Preto, Jaen) da Qta da Espinhosa (Vila Nova de Tazém, parece q é o berço da T-N) numa qq mercearia de Lisboa por um preço incrível, sem conhecer o vinho e a marca. Fiquei deveras surpreendido, até pela frescura que mantém, estando conservado claramente em condições inapropriadas.
Está lá um de 2001, n sei se da mmª marca, julgo que sim...irei experimentar. Abraço e boas provas. Vasco

 
Powered By Blogger Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-Noncommercial-No Derivative Works 2.5 Portugal License.